belonato
Cabine da Voz
TRAGÉDIA

Afastamento de cargo da igreja pode ter motivado ataque em Paracatu

Crime na Igreja Batista Shalom deixou quatro pessoas mortas. O objetivo do atirador era matar o pastor.

24/05/2019 13h45Atualizado há 3 meses
Por: Carolina Emerick
98
Fachada da Igreja Batista Shalom em Paracatu, município de Minas Gerais. (Foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Fachada da Igreja Batista Shalom em Paracatu, município de Minas Gerais. (Foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

O atirador da Igreja Batista Shalom, que matou quatro pessoas na noite desta terça-feira (21) em Paracatu (MG), foi motivado a realizar o ataque por um desentendimento com o pastor, segundo a delegada de homicídio, Thays Regina Silva.

Rudson Aragão Guimarães, de 39 anos, matou a facadas a ex-namorada, Heloísa Vieira Andrade, 59 anos, que estava em oração na casa de parentes dele. Em seguida, ele foi até a igreja atrás do pastor, Evandro Rama, e matou mais três pessoas que participavam de um culto.

“Várias diligências ainda serão realizadas, mas a gente segue na linha de que um desentendimento relacionado à destituição dele de um cargo da igreja e afastamento de alguns fiéis depois que ele se tornou uma pessoa ofensiva com o pastor pode ter motivado o crime”, disse a delegada nesta quarta-feira (22).

Thays Regina também informou que o casal terminava e retomava o relacionamento frequentemente, por causa das oscilações de comportamento.

De acordo com o irmão de Marilene Martins Melo, 52 anos, uma das vítimas da tragédia, Rudson foi bloqueado de um grupo de WhatsApp da igreja por mal comportamento, há cerca de um mês, e por isso queria se vingar.

“Ele chegou ao local por volta das 19 horas, arrancou o portão, passou por uma porta de vidro e entrou pelo salão da igreja chamando pelo nome do pastor. Ele gritava que queria matar o pastor: ‘Se você não aparecer aqui, vou começar a matar pelo seu pai’. E foi o que ele fez”, disse Geraldo Martins de Melo ao Estadão.

O irmão da vítima conta que Marilene tinha a função de acolher e orientar os fiéis na igreja. “Minha irmã tentou acalmá-lo. Mas ele estava muito agressivo e atirou em uma fiel e, na sequência, pegou Marilene como refém. Não obedeceu a ordem da polícia e deu um tiro na nuca dela”, relatou.

Um dos membros da igreja, Yuri Jordão, 45 anos, explicou que Rudson atuava como intercessor, mas foi retirado da função há dois meses, por causa de problemas pessoais. O pastor tentou orientá-lo, mas o criminoso não se mostrou interessado em seus conselhos.

“A partir daí, o Rudson passou a denegrir a imagem do pastor nas redes sociais. Fez várias publicações ofendendo-o, o que deixou o pastor muito assustado. O Evandro chegou a enviar um áudio pedindo misericórdia. Infelizmente, ele cometeu uma barbárie”, disse Yuri ao Correio Braziliense.

Segundo um dos filhos de Antônio Rama, 67 anos, pai do pastor que foi morto na tragédia, o assassino já havia feito ameaças. Rudson estava revoltado por ter sido destituído do cargo de liderança da igreja.

“Eu nunca tive contato com o atirador, mas meu pai comentou que ele estava tentando tomar frente à igreja, mas não tinha atitudes corretas. Então meu irmão o afastou desta frente e pediu pra ser somente membro. Ele então começou a fazer calúnias, dizer que o povo ia conhecer quem meu irmão realmente era”, explicou Thiago Rama ao G1.

Thiago contou ainda que perguntou para o irmão se o problema já estava resolvido e ele afirmou que sim. “Só que eu nunca imaginei que chegaria a esse ponto. Meu irmão está muito abalado pelo meu pai e também pelos membros da igreja que morreram”, lamenta.

Segundo o tenente coronel Luiz Magalhães, do 45º Batalhão da Polícia Militar de Paracatu, o assassino tinha problemas psiquiátricos e tem histórico na polícia por tráfico de drogas. “Os relatos que colhemos de alguns frequentadores da igreja indicam que Rudson apresentava algum distúrbio psiquiátrico. Segundo os fiéis, ele tinha alucinações, comportamento agressivo e nos últimos tempos andava muito insatisfeito por ter sido retirado de alguns trabalhos da igreja”, explica.

O atirador foi detido por policiais militares após ser atingido com um fuzil. Ele foi internado o Hospital Municipal de Paracatu (HMP), passou por cirurgia e seu estado saúde é estável, sem previsão de alta da unidade.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Manhuaçu - MG
Atualizado às 12h22
24°
Poucas nuvens Máxima: 27° - Mínima:
24°

Sensação

3 km/h

Vento

45%

Umidade

Fonte: Climatempo
designer grafico para rede social
Municípios
ALFAVIP 3
Últimas notícias
Mais lidas
alfavip
Farmacia