Quarta, 12 de dezembro de 201812/12/2018
(33) 98412-3811
Muito nublado
18º
18º
25º
Manhuacu - MG
Erro ao processar!
RELIGIÃO
Bolsonaro rejeita ideia de taxar dízimos e ofertas: “Trabalho de igrejas é de extrema relevância”
Bolsonaro afirmou, durante entrevista a emissoras católicas no Auditório São Paulo, na cidade de Cachoeira Paulista, no Vale do Ribeira (SP), que o princípio constitucional de isenção fiscal para entidades religiosas deve ser mantido por conta da “relevante” contribuição social que as igrejas – e demais religiões – prestam.
Moisés de Oliveira MANHUAÇU - MG
Postada em 04/12/2018 ás 09h29 - atualizada em 04/12/2018 ás 09h58
Bolsonaro rejeita ideia de taxar dízimos e ofertas: “Trabalho de igrejas é de extrema relevância”

Bolsonaro rejeita ideia de taxar dízimos e ofertas: “Trabalho de igrejas é de extrema relevância”

A discussão sobre o fim da isenção tributária das igrejas no Brasil foi abordado numa entrevista do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que declarou não ter intenção de mudar a legislação vigente, como propõe uma sugestão popular feita na plataforma do Senado Federal.


Bolsonaro afirmou, durante entrevista a emissoras católicas no Auditório São Paulo, na cidade de Cachoeira Paulista, no Vale do Ribeira (SP), que o princípio constitucional de isenção fiscal para entidades religiosas deve ser mantido por conta da “relevante” contribuição social que as igrejas – e demais religiões – prestam.


“No que depender de mim, nós manteremos essas isenções porque o trabalho prestado é de extrema relevância, e não é justa qualquer taxação nesse sentido”, afirmou o presidente eleito na entrevista concedida às emissoras Canção Nova e Rede Século 21.


Portal Alfavip - Com informações - Gospel +

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô: