Terça, 18 de dezembro de 201818/12/2018
(33) 98412-3811
Nublado
18º
19º
29º
Manhuacu - MG
Erro ao processar!
lemoca
INTERNACIONAL
Malásia não é mais vista como moderada quanto ao islamismo
Governo tem apoiado restrições muçulmanas que prejudicam fés minoritárias no país
Moisés de Oliveira MANHUAÇU - MG
Postada em 31/08/2018 ás 20h25
Malásia não é mais vista como moderada quanto ao islamismo

Sequestros de líderes cristãos, desaparecimentos e conversões forçadas raramente estão fora das manchetes.

A Malásia é vista pelos países ocidentais como uma das nações muçulmanas mais moderadas, que deve ser vista como uma aliada a ser cultivada e mantida na batalha contra o islamismo militante. Mas no próspero país de mais de 31 milhões de pessoas, uma nação diversificada com muçulmanos malaios, chineses, indianos, pessoas da Europa e de outra fé, o governo está perdendo a fachada de moderado e aparecendo como cúmplice ao apoiar restrições islâmicas extremistas que têm como alvo as fés minoritárias do país, inclusive a cristã.


Sequestros de líderes cristãos, desaparecimentos e conversões forçadas raramente estão fora das manchetes. A falta de policiamento e urgência do governo em investigar esses incidentes adiciona uma escuridão que impregna as comunidades de fé não-islâmica. Isso se agravou após os ataques a igrejas malaias em fevereiro.


Apesar da situação real, o governo malaio participa da Semana da Harmonia Inter-religiosa, da ONU, uma iniciativa que pede para líderes islâmicos e cristãos se engajarem no diálogo baseado em dois princípios considerados comuns – o amor a Deus e ao próximo. Os dois mandamentos estão no centro das três religiões monoteístas – cristianismo, judaísmo e islamismo - e dão um ponto teológico em comum para a paz e a boa vontade.


Ajude a encontrar o pastor Koh


No dia em que se celebra 61 anos da Independência da Malásia, os cristãos ainda não podem comemorar sua liberdade religiosa. Uma demonstração disso é o caso do pastor Raymond Koh, sequestrado há mais de um ano e meio e que continua desaparecido. Ajude a interferir nessa situação. Assine a petição que será enviada ao embaixador da Malásia no Brasil, para pressionar o governo malaio a tomar atitudes para encontrar o pastor.


Com informações - Portas Abertas

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô: