Terça, 12 de dezembro de 201712/12/2017
(33) 98412-3811
INTERNACIONAL
Para evitar fofoca, papa aconselha: ‘Mordam a língua’
Em passagem por Bangladesh, pontífice alertou para o "terrorismo da fofoca"
Moisés de Oliveira MANHUAÇU - MG
Postada em 02/12/2017 ás 20h39
Para evitar fofoca, papa aconselha: ‘Mordam a língua’

O papa Francisco visitou um abrigo para órfãos, mães solteiras e idosos, em Dacca, capital do Bangladesh Foto: EFE/Andrew Medichini

Em seu último dia em Bangladesh, o papa Francisco visitou um abrigo para mães solteiras, órfãos e idoso, em Dacca, capital do país. Num discurso improvisado, o pontífice alertou para os perigos do “terrorismo da fofoca”, dentro dos grupos religiosos.


– Quantas comunidades religiosas já foram destruídas por causa do espírito da fofoca?Por favor, mordam a língua – aconselhou, referindo-se a padres e freiras.


O abrigo visitado por Francisco foi fundado pela Madre Teresa de Calcutá, em 1970. Na época, sua função era acolher mulheres grávidas vítimas de estupros cometidos por soldados paquistaneses durante a guerra de independência do país.


O discurso do papa foi considerado brando, se comparado à tensão que envolvia a ida do religioso para a Ásia. Na última sexta-feira (1º), Francisco se reuniu com refugiados rohingya, uma minoria muçulmana que foge perseguição religiosa em Mianmar. Foi a primeira vez que o pontífice mencionou a palavra “rohingya” para se referir aos refugiados, contrariando a recomendação do vaticano, que temia uma possível retaliação contra cristãos em Mianmar.

tags:
• fofoca
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô: