Terça, 12 de dezembro de 201712/12/2017
(33) 98412-3811
RELIGIÃO
Como ser amigo dos seus filhos sem perder autoridade?
Cassiane revela alguns segredinhos de sua ‘psicologia’ de mãe. Um deles é dialogar sempre
Moisés de Oliveira MANHUAÇU - MG
Postada em 19/09/2017 ás 15h14 - atualizada em 21/09/2017 ás 11h56
Como ser amigo dos seus filhos sem perder autoridade?

Cassiane é casada há 23 anos com Jairo Manhães, músico e pastor. São pais de três filhos ainda jovens, Jayane, Caio e Joshua. Cassiane explica como concilia o trabalho com o cuidado com os filhos, pois está atenta sempre às necessidades deles.

É cada vez maior o número de estudos sobre a importância da boa relação entre pais e filhos. Assim como são evidentes os resultados negativos de crianças e adolescentes que mantém um distanciamento afetivo de seus pais. Como lidar com esse dilema e se tornar amigo dos filhos sem perder a autoridade sobre eles? A cantora Cassiane que é formada em psicologia e atua também como pastora falou de sua experiência como mãe.


– O diálogo é tudo! Acredito que a conversa é essencial. Eu sempre conversei com meus filhos e levei-os muito pela psicologia. Gosto de olhar no olho e jogar as responsabilidades do que eles querem para eles: “É isso mesmo que você quer?”. Eles têm que entender que a oportunidade é deles, de fazer o certo ou o errado – explica.


Cassiane é casada há 23 anos com Jairo Manhães, músico e pastor. São pais de três filhos ainda jovens, Jayane, Caio e Joshua. Cassiane explica como concilia o trabalho com o cuidado com os filhos, pois está atenta sempre às necessidades deles.


– Eu tenho uma agenda muito cheia, mas meus filhos sempre foram minha prioridade. Posso estar o mais cansada que for, fazemos programas em família, saímos, vamos ao cinema, brincamos em casa mesmo, qualquer coisa. Mas, me distanciar dos meus filhos, jamais! Eu, como pastora, tenho responsabilidade de ganhar primeiro os meus em casa. Se não que ministério é o meu, onde ganho os filhos dos outros enquanto estou perdendo os meus? – questiona.


Problemas afetivos passam gerações


Embora as circunstâncias sejam diferentes para as gerações passadas e atuais, problemas afetivos sempre existiram. Antigamente, muitos pais davam pouco carinho aos filhos porque acreditavam que demonstrações de afeto eram desnecessárias. O que precisavam era aprender a enfrentar o que o mundo os reservasse. Para Cassiane, esse método ensinado desde os tempos antigos, que até hoje é passado para muitas famílias, é uma das causas que levam as crianças a se tornarem, emocionalmente, frustradas.


– Esse tipo de pais deixam os filhos muito distantes deles. Eu repito: diálogo é tudo! Conversar com seus filhos sobre tudo, deixar que eles te falem tudo é uma prova de confiança. Os filhos precisam saber que os pais podem ser os únicos amigos que nunca serão concorrentes deles – aconselha.


Excesso de tecnologia também afasta os filhos dos pais


Muitas famílias estão atentas ao celular, ao telefone; e o diálogo, o tempo de qualidade juntos “substituiu” a troca entre pais e filhos. É preciso não deixar morrer o papo durante as refeições, a conversa franca e o olhar atento às atividades dos filhos.


– Os pais precisam perceber que nada pode ser mais importante do que a amizade entre eles e seus filhos – reafirma a cantora.


Da infância à adolescência


A amizade entre pais e filhos deve começar logo na infância. Os pais que se preocupam com esse vínculo ainda na gestação e o promovem durante o crescimento, só poderão ter uma amizade fortalecida.


– Lá em casa meus filhos dizem de mim: “ Minha mãe é legal, mas é general”. Só que eu sou legal mesmo, sou amigona deles. Mas, também “pego pesado” quando necessário – brinca Cassiane.


Com informações - Pleno News

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
104